Marcelle - 14/06/2018 - Campinas

 Nesta quinta-feira, dia 14 de junho, a cantora-compositora sergipana Marcelle apresenta show de seu segundo trabalho "Equivocada" no SESC Campinas. A entrada é gratuita.
 Unindo lisergia e minimalismo, Marcelle transita pelo universo pop e sua reinterpretação.  A banda é formado por Marcelle (voz), Carlos Gadelha (guitarra), Felipe Faraco (baixo), Bianca Predieri (bateria), Xavier Francisco (percussão) e Léo Monstro (teclado).




 Sergipana, como Héloa, o duo The Baggios, Arthur Mattos e a Coutto Orquestra, Marcelle vive há muito tempo em São Paulo e demorou para optar por música, um hobby adquirido na infância que foi sendo cultivado enquanto a menina transitava pelo mundo dos escritórios de Direito, os caminhos da publicidade e os meandros da produção musical. Focada, levou dois anos para lançar em 2012 One Oh 1, já produzido por Dustan – ao lado de Bruno Buarque. O disco chamou a atenção porque além de trazer músicas de autores brasileiros que compunham em inglês, como o piauiense Odorico Leal e os cearenses Igor Di Cavalcanti e Regis Damasceno, tinha uma sonoridade típica do psicodelismo inglês do final dos anos 1960 – Régis, colega de Dustan na banda Cidadão Instigado, tem um projeto nessa direção, o Mr. Spaceman. Em Equivocada Dustan manteve essa sonoridade peculiar, permitida pela parafernália vintage que cultiva, mas optou por abrir espaços para a cantora se exprimir. É como se evocasse o texto de Ferreira Gullar na contracapa do clássico de Maria Bethania, Recital na Boite Barroco, em que o poeta cita cantora, "sei que desafino às vezes. Mas eu também desafino na vida”. Da “atonalidade baiana” ao delírio harmônico de um Connan Mockasin é só “um pulinho”. E como referindo-se a One Oh 1 Marcelle abre o disco só com violão e voz, dizenso “Sim, é o filme da nossa vida / talvez, o roteiro esbarre no inglês”(Cinema). E, em português (claro), Marcelle solta o coração e abre a voz em faixas que unem lisergia e minimalismo (Fantasmagórica), ora desconstruindo um samba-canção (Mais calma eu preciso de um tempo, com direito a declamação del bofe), ora erigindo um reggae (Não vou te deixar sair com a participação de Anelis Assumpção, a exemplo de Trem pra ninguém). O mellotron de Dustan em Nada a nós é majestoso como o King Crimson inicial enquanto o assobio de Marcelle em Se renda brinca com o citado neozelandês Mockasin. “Puro drama? Equivocada?” Marcelle sugere em Vem de mim. Ah, equívoco é deixar passar discos assim.

Fonte: Assessoria de Imprensa.
Foto: Patricia Araujo.



          


📅   Data: 14/06/2018 (quinta-feira)

🕜   Horário: 20h30.

⇒   Local: SESC Campinas - Área de Convivência
Endereço: Rua Dom José I, 270/333 - Bonfim - Campinas/SP

$   Entrada: Gratuita.

☒   Classificação Etária: Livre.

☏   Mais Informações: 
(19) 3737-1500.